Muita gente não sabe, mas a notificação dos casos suspeitos de dengue é essencial para o monitoramento da doença, evitando assim, uma possível epidemia. O alerta é da Secretaria de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica

Em 2021 foram registrados no município de Descalvado 85 notificações, tendo como resultado 26 casos positivos e 59 negativos. De janeiro a abril de 2022, a equipe da Vigilância informou que já são 177 casos notificados, sendo 88 positivos, 33 negativos e 56 aguardando o dia da coleta da sorologia (coleta de sorologia precisa estar com 6 dias de sintomas).

A notificação é necessária, por que é através dela que a Vigilância Epidemiológica e o gestor de saúde ficam cientes da real proliferação da doença, além de servir para o médico fazer o diagnóstico correto, você notifica para que um médico faça um diagnóstico. Estamos na iminência de uma epidemia, não adianta eu fazer a limpeza na minha casa, se o vizinho não faz, temos que limpar tudo e esgotar os possíveis criadouros”, explicou a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica, Maria de Lourdes Cordeiro Santana. Segundo ela, o monitoramento dos casos passa pela coleta do material, que servirá para identificar e fazer a sorologia.

Nós estamos trabalhando a demanda espontânea, aonde o paciente vai à unidade de saúde do seu bairro com os sintomas, a equipe notifica e monitora este paciente com exames de hemograma e consulta com o médico se necessário”, explicou Maria de Lourdes.

A enfermeira informa também que o vírus da dengue apresenta quatro sorotipos (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4) circulando pelo Brasil e que uma mesma pessoa pode ser infectada com vírus diferentes, o que aumenta a gravidade da doença. “No momento está circulando o sorotipo DEN-1, conforme foi detectável em pacientes do município através resultado do Laboratório Adolfo Lutz Ribeirão Preto”, concluiu.

A Secretaria de Saúde mais uma vez reforça que a batalha conta a dengue e o mosquito Aedes Aegypti é uma luta de toda a população, e não apenas dos agentes de saúde. “Não adianta eu fazer a limpeza na minha casa, se o vizinho não faz“, alertou o Secretário Wander Boneli.