Época de reprodução dos peixes tem início nesta segunda-feira (1º) e segue até fevereiro de 2022.

A pesca em vários trechos do Rio Mogi Guaçu, em Pirassununga (SP), está proibida a partir desta segunda-feira (1°) devido à piracema, período de reprodução dos peixes.

Quem não cumprir a lei no período que se estende até 28 de fevereiro de 2022, pode pagar multas que variam de R$ 700 a R$ 100 mil. O infrator ainda pode ser detido e responder por crime federal, segundo a Polícia Ambiental.

O Rio Mogi Guaçu é um dos maiores berçários de água doce do estado com mais de 150 espécies, com lambaris, dourados, bagres, entre outros.

Pelos próximos quatro meses, os peixes vão nadar centenas de quilômetros contra a correnteza para reprodução.

As denúncias de pesca ilegal podem ser realizadas por meio do telefone 0800 11 3560.

Chuva e estiagem

Em outubro, choveu cerca de 220 milímetros em Pirassununga e o volume, dez vezes mais do que o registrado no mesmo período no ano passado, mudou o cenário do rio no distrito de Cachoeira de Emas.

Segundo o analista ambiental Wellington Peres do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (Cepta), apesar do bom volume de chuva em outubro, a estiagem severa registrada meses antes prejudica a piracema.

Durante a o período de estiagem a gente verificou mortandade de peixes em alguns locais em razão da diminuição da qualidade da água em função do lançamento de esgoto por alguns municípios da região. Então nesse período a gente vai ter uma quantidade menor de peixes migrando pra fazer reprodução”, disse.

No fim do mês de setembro, a vazão do rio estava em 11 metros cúbicos por segundo, quando deveria estar entre 50 e 60.

Foi a pior crise hídrica nos últimos dez anos, já comparando com 2014 quando a vazão do rio chegou a 16 metros cúbicos por segundo. O ano foi marcado pela crise hídrica em todas as regiões do país.

Pirassununga estava há mais de 100 dias sem uma chuva que ultrapasse os 10 milímetros e não havia previsão de mudança de tempo nos próximos dias.

Baixa vazão do Rio Mogi Guaçu em Pirassununga registrada no fim de setembro deste ano — Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV

Baixa vazão do Rio Mogi Guaçu em Pirassununga registrada no fim de setembro deste ano — Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV