Apenas 23,3% das pessoas com 60 anos ou mais foram imunizadas. Além disso, mais de 50% das crianças, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde e professores também não tomaram o imunizante contra a gripe.

Com mais de um mês de campanha, o município de Descalvado ainda não vacinou 50% do público-alvo contra a gripe. A vacinação começou em 12 de abril e segue até 9 de julho.

Com a baixa procura pela população, a Secretaria de Saúde faz um alerta para que os descalvadenses busquem pelo Posto de Saúde da Família (PSF) do seu bairro para tomarem o imunizante contra a gripe.

Segundo dados da Secretaria de Saúde, até na tarde da quinta-feira (20), cerca de 3,4 mil munícipes receberam a vacina da influenza, o que corresponde a pouco mais de 34% das 9.958 pessoas do público-alvo.

No atual estágio da campanha, entre 11 de maio de 8 de junho, estão sendo vacinados idosos com 60 anos e trabalhadores da educação. Porém, as pessoas inclusas na 1ª fase (crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; puérperas; povos indígenas e trabalhadores da saúde) e que ainda não tomaram a vacina contra a influenza devem procurar as salas de vacinação para tomar o imunizante.

Até o momento, os idosos representam o público alvo que menos buscou pelo imunizante. De acordo com os números da Secretaria, dos 6.322 idosos esperados para tomar a vacina, apenas 23,3% receberam a dose (1490 pessoas).

A próxima etapa da campanha (de 9 de junho a 9 de julho) contempla o seguinte público-alvo: pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação e liberdade e população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Vale ressaltar que no ano passado, a cidade de Descalvado foi considerada um exemplo para as demais cidades da região, com uma expressiva adesão de munícipes sendo imunizados contra a influenza. O fato também foi determinante para o recebimento das doses contra a Covid-19 a partir de janeiro deste ano, mas que agora, com a baixa adesão, torna-se motivo de preocupação para os agentes da Secretaria de Saúde, que temem uma redução do envio de novas doses em campanhas futuras.

Intervalo entre vacinas

Como a campanha de vacinação contra influenza coincide com a realização da vacinação contra a Covid-19, a Secretaria de Saúde orienta que seja respeitado um intervalo de 15 dias entre uma vacina e outra.