O vereador Daniel Bertini (Podemos) cobra da Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento, Obras e Serviços Públicos informações acerca de como estão as tratativas com a empresa Lopes e Pécora Construções, responsável pela pavimentação da segunda via da Rua Mário Bonitátibus, no Parque Morada do Sol.

A obra foi concluída em abril de 2019. No dia seguinte à liberação para o tráfego de veículos, a Rua Mário Bonitátibus apresentou diversos pontos irregulares, como esfarelamento, rachaduras e buracos no asfalto.

Daniel lembra que na época o Poder Executivo chegou a acionar a empresa para reparos e explicações. O problema rendeu uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Municipal para apurar responsabilidades. “Só que até o momento não resultou em nada”, destaca.

A pavimentação da segunda via da Rua Mário Bonitátibus era uma obra bastante aguardada pela população, já que este é um dos principais acessos ao Parque Morada do Sol. A via está em deterioração e esses problemas precisam ser corrigidos”.

Por fim, Daniel lembra que “conforme previsto no edital de licitação, o serviço executado pela empresa possui garantia de cinco anos, então é preciso que providências urgentes sejam tomadas”.

Proteção Animal

Daniel reencaminhou ao Executivo anteprojeto de lei propondo a criação do Fundo Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal para captar e aplicar recursos no financiamento, investimento, expansão, implantação e aprimoramento de ações voltadas à proteção dos animais.

O anteprojeto prevê o implemento do controle populacional e de medidas de prevenção de zoonozes e outras moléstias. “Os animais, além de serem uma questão humanitária, são temas de alta relevância, de saúde pública e meio ambiente”, justifica.

A ideia é que as receitas do Fundo venham de doações, recursos provenientes de acordos, contratos, consórcios e convênios, termos de cooperação e outras modalidades; recursos provenientes de multas impostas por infrações à legislação de proteção aos animais; arrecadação das taxas de registro e identificação de animais domésticos e domesticados; e, outros.

Contratação de Médico

Daniel defende a contratação de médico neurologista para atendimento na Rede Municipal de Saúde. Ele relata ter sido procurado por diversos munícipes reclamando sobre a falta de médico neurologista para atendimento na rede pública. 

Em razão disso os cidadãos não conseguem receitas para remédios controlados. Quando há profissionais, os medicamentos prescritos não são disponibilizados pela Prefeitura”, aponta.

Conforme informaram, os pacientes têm sido direcionados para médico que não é da especialidade e atende em uma das Unidades de Saúde da Família para que seja emitida a receita, já que não podem ficar sem os remédios. Porém, os medicamentos prescritos precisam ser comprados pelos munícipes”, aponta.

Daniel observa que “são pessoas que sofrem de doenças crônicas e precisam do acompanhamento; um dos cidadãos relatou que teve custos de aproximadamente R$ 500 para adquirir os medicamentos de que necessita”.