No final do mês de julho, o Laboratório Duprat Ltda – empresa que recebeu da Prefeitura Municipal de Descalvado um área destinada à instalação da sua mais nova planta no município de Descalvado – deu início as obras do galpão que deverá abrigar a área destinada a fabricação de produtos veterinários.

No início de abril deste ano, o prefeito Becão sancionou a Lei N.º 4.434, concedendo ao Laboratório Duprat o direito de uso de uma área de 3.280 metros quadrados, localizada na região do distrito industrial próximo a Vicinal Vito Gaia Puoli, que liga os municípios de Descalvado e Pirassununga.

Em funcionamento desde o ano de 2018 em uma área alugada na região do Distrito Industrial do Tamanduá, as atividades do Laboratório Duprat vêm se desenvolvendo de forma crescente, acompanhando o bom momento do setor de produtos veterinários, e que em Descalvado, consolidou-se como um importante segmento econômico.

De acordo com o requerimento da empresa, a concessão de direito de uso com fins de doação autorizada pela administração Becão e Luiz Carlos gerará 10 (dez) empregos direitos e 20 indiretos. A empresa relatou ainda que acredita que a concessão ensejará, inicialmente, em uma receita bruta anual de R$ 500 mil, sendo que após 2 anos de operações, a receita poderá atingir R$ 200 mil mensalmente. Além de Descalvado, a empresa também exerce atividades em Uberaba (MG) e no Rio de Janeiro (RJ).

Vale ressaltar que a Lei que autorizou a concessão do direito de uso da área veda expressamente a locação ou, de qualquer forma, a transferência da posse imobiliária pela empresa cessionária a terceiros sem prévia autorização legislativa, sob pena de revogação da Lei.

De acordo com um dos representantes da empresa, a previsão é de que as atividades do Laboratório Duprat no local sejam iniciadas no início do próximo ano.

MAIS DUAS EMPRESAS INTERESSADAS EM INVESTIR EM DESCALVADO – Durante esta semana, o prefeito Becão recebeu em seu gabinete os representantes de mais duas empresas que pretendem se instalar ou ampliar as suas atividades no município.

Os diretores da Huma Log – empresa prestadora de serviços de transporte rodoviário de carga, logística e armazenagem geral – foram recebidos pelo prefeito Becão e apresentaram o plano de expansão da empresa, que se viabilizado, poderá gerar novos empregos e renda para o município de Descalvado. A Huma Log presta serviços no segmento de transportes rodoviário a nível estadual e nacional, e atende a toda cadeia de suprimentos.

O prefeito municipal também recepcionou o representante da empresa VIS Comercial e Revestimentos Especiais, que também pleiteou o apoio da Prefeitura Municipal para o crescimento de suas atividades no município.

Além de recepcionar os representantes das duas empresas no Paço Municipal, o prefeito Becão também acompanhou os interessados na geração de emprego e renda na cidade em uma visita na nova área adquirida pela Prefeitura, destinada a instalação de empresas que pretendem investir em Descalvado.

ASSINATURA DE INSTRUMENTO DE CONCESSÃO DE ÁREA – Também ao longo da semana, o prefeito municipal recebeu o empresário José Antônio Jarina para a assinatura do instrumento particular que prevê a concessão do direito de uso de área com fins de doação para a empresa J.A. Jarina Cereais ME.

De acordo com o projeto que originou a Lei N.º 4.289, a empresa J.A. Jarina – que atualmente funciona em um barracão alugado desprovido de espaço físico para expandir suas atividades – desenvolver atividades de comércio, fabricação de alimentos para animais e comércio de matérias-primas agrícolas ‘in natura’. Segundo o requerimento protocolado pelo empresário, a doação da área aumentará sua produção e, por conseguinte,  gerará mais empregos e renda, contribuindo para o fortalecimento da arrecadação de impostos do município. A área cedida (1.100 m²) para a empresa está localizada no Distrito Industrial do Tamanduá, no antigo local conhecido como Granja Belenzinho. Com a assinatura do instrumento de concessão de direito de uso, a empresa tem agora 3 meses para protocolar o projeto técnico de construção das edificações, e outros 90 dias para iniciar as obras. A estimativa é de que a empresa gere no novo local, 20 (vinte) empregos direitos e indiretos nos primeiros 3 primeiros anos de atividade.